Um ideal

ESFORÇO, DEDICAÇÃO, DEVOÇÃO E GLÓRIA, o lema que fez do Sporting um grande clube, tão grande como os maiores da Europa”

Receba o "ANorte" por e-mail

Mantenha-se a par

sábado, 4 de setembro de 2010

Esta semana leonina


Tal como nos temos vindo a habituar, a semana no Sporting foi marcada por diversos altos e baixos que, consoante as perspectivas dos sportinguistas, acabam sempre por regular (ou desregular) as paixões e pontos de equilíbrio.

O futebol entrou numa senda de vitórias e basicamente é isso que pretendemos, embora não a todo o custo. Assim, por mais alegrias que uma vitória possa dar, nada torna ilegítima a dúvida quanto ao futuro. Quero com isto dizer que não se deve achar que se alcançou um patamar estável.

Os media continuaram esta semana a realizar as suas manobras. Provavelmente, muitos acharão que não deve ser dado destaque a estes acontecimentos mas na era que vivemos, considero que os "média" são praticamente tudo. Assim, estes têm o poder de transformar um copo de água numa tempestade e o inverso. No estado em que se encontra a opinião leonina, qualquer fagulha conseguirá incendiar as hostes.

A propósito de opinião, o recente "caso" do comentário de Paulo Pereira Cristóvão merece umas quantas palavras da minha parte, nomeadamente no que diz respeito a opiniões, críticas, pontos de vista, entre outros. Em primeiro lugar, há que distinguir o que é forma ou conteúdo e qual o objectivo. Que fique claro que acho que PPC deveria ter evitado uma mensagem naquele tom e daquela forma, mas foi a sua opção. Passemos ao objectivo:

- Desde Junho de 2009 que PPC, seus companheiros e outros sportinguistas têm sido sucessivamente marcados e repisados com o argumento "90-10". Logo nessa altura referi que o facto "poucos" se reverem nas posições de uns não implicava que a opinião da "maioria" seria a única forma possível e correcta.

Após o episódio no Facebook, assistiram-se a N reacções contra PPC que nesta altura não é , nem nunca foi, mais do que qualquer um de nós: um sportinguista. Elevou-se a indignação contra um sportinguista que exprimiu a sua opinião - já o disse que deveria ter feito de outra forma. Mas heis que surge em larga medida a incoerência: Muitos dos que não hesitaram a condenar os actos de PPC são os mesmos que nunca foram capazes de proferir uma palavra contra o comportamento de outros Sportinguistas da suposta "linhagem" cujas declarações nos mais variados espaços (entrevistas, debates, conferências de imprensa, etc.) deveriam envergonhar cada um de nós.

Existe um desdém por parte de muita gente em relação a gente crítica, blogs, fóruns, etc. Como se costuma dizer "Quem não deve, não teme" e a união é algo que se conquista e não que se impõe. Limitar a resposta a um simples "A crítica não faz sentido" em vez de fundamentar o porquê de não fazer sentido não passa de um acto de alimentação da suspeita já existente.

Existem "Cegos" e existem os que não querem ver. Este espaço tem sido atacado por diversos comentários generalizados que remetem sempre para o mesmo ponto de vista, ou seja, o clássico "Está na hora de reunir" ou "Comecem mas é a apoiar". Gostaria de apelar para que em vez de se perderem em trivialidades, perdessem um pouco de tempo a pensar e analisar a preocupação legítima de um companheiro leonino e prestarem talvez um pouco de auxílio. Se têm plena consciência e tranquilidade face ao que se tem passado, apresentem os factos e argumentos que sustentam esse estado de alma em vez de partir para uma "caça às bruxas" que já há muito tempo é patrocinada por algumas pessoas.

A crítica e o debate são fundamentais para a sustentação de ideias e estratégias. Se para uns não deve basear-se no simples facto de "não aceitar" ou "serve para malhar" porque vem dali, para outros está na altura de entender para onde é que a "crítica" deve ser verdadeiramente apontada.

É que em vez de andarmos a falar daquilo que nos preocupa, andamos a arranjar razões para simplesmente não gostar de alguém só porque não tem a mesma ideia que nós ou porque não concorda com o que nós defendemos.

Relembro ainda que a nossa lealdade não é com pessoas ou objectivos pessoais mas com uma instituição: Sporting Clube de Portugal.

EM FRENTE SPORTING!

PS: Hoje as vitórias podem começar com a equipa de Futsal a disputar no Entroncamento, a Supertaça frente ao Belenenses. Muita força para João Benedito & C.a.

28 Comentários:

MM disse...

Que "esta semana leonina" nos ofereça mais um título esta tarde. Não sei se alguém teve oportunidade de ver a última conferência de imprensa do Orlando Duarte - a de arranque para o jogo de hoje precisamente - mas caso não ... aconselho vivamente, não pelo Orlando Duarte mas sim por mais uma fantástica aparição aos microfones e câmeras do João Benedito.

Ainda existe muito Sporting dentro do Sporting.
Fora do seu futebol, mas bem dentro do Sporting. O que eu gostava de ver o Clube comandado por algumas das gentes que o servem fora da sua seccção de Futebol. Caso acontecesse tenho a impressão que o Clube levava uma volta de 180º, para melhor, para muito melhor ...

Hugo Malcato disse...

MM,

Erro meu! Ia colocar essa nota no post e acabei por me esquecer.

LEÃO PENSADOR disse...

"Lula é o brasileiro que mais vezes se candidatou à presidência da República do Brasil, sendo candidato a presidente cinco vezes". "Algumas derrotas foram bastante expressivas devido à sua condição de sindicalista radical, e à sua falta de formação e escolaridade....".

Isso do 90/10 já foi chão que deu uvas. Lula da Silva passou quase de um "sem terra" para quem se lembra dele quando apareceu na primeira candidatura, para um dos homens mais influentes do mundo, não deixando de averbar na folha estrondosas de derrotas, uma delas para Collor de Mello (rapaz honesto e competente). Até neste facto existem algumas semelhanças com o Sporting - se percebem o que quero dizer na parte da competência.

Lula brevemente irá ser substituido na presidência do Brasil, deixando a economia a crescer mais de 5%, e o país como uma das maiores potências emergentes do mundo.

Ao inicio, no Brasil e no mundo, ninguém levava muito a sério Lula, e as suas candidaturas... Hoje, foi talvez, senão o melhor, dos melhores presidentes do Brasil...E o mundial de 2014...é no Brasil...

NÃO É SÓ DINHEIRO!

http://www.conselholeonino.blogspot.com/

Jose disse...

As criticas que devereiam ser criticas passaram para as ofensas a todos que apoiam o trabalho que está a ser feito em todas as modalidades..passaram a chamar cegos ..por acaso não preciso de óculos ..palhaço por acaso não tenho pinta para fazer rir..apagar comentários por acaso espero que não apaguem o meu.. a ofender os noventa por cento de não quererem saber das contas..por acaso os outros dez é que sabem das contas por fontes seguras até dava para prender alguns..Enfim estive a pensar..por acaso surgiu-me a ideia para que esses criticos e do bota abaixo formarem um clube que poderia ser na mesma Sporting clube bota abaixo..as cores do equipamento poderia ser na mesma o verde por fora mas vermelho por dentro..o símbolo em vez do leão poderia ser a melancia..e covidavam para sócios os marretas e os velhos do restelo e os maldizentes e iam ver que as contas seriam só lucros..que não compravam nenhum flops..que vendiam sempre bem os jogadores..e em vez de andarem a chamar nomes ao jebardo por chamar terrorista ao pintas que pinta as paredes de alvalade teriam sempre comentários a elogiar o vosso trabalho..Enfim mais uma nota..Não é a chamar nomes aos noventa e tais por cento que conseguem angariar mais sócios para o vosso lado...Não custa nada fazer oposição sem chamar ou ofender os outros que apoiam sempre o clube ..

Dezperado disse...

Na minha opinião Hugo, o problema passa pela divisão criada entre os adeptos do Sporting. Os denominados "méééé e clap clap" e os "terroristas".

Chegamos a uma altura em que estamos no 8 ou 80. Entre os que criticam, muitos passaram a criticar tudo o que mexe, criticam todas as noticias que saem mesmo que sejam de orgãos de informação muito duvidosos.
Os que defendem, passaram a focar-se apenas em contrariar os que criticam, deixando os verdadeiros problemas do clube para segundo plano.

Estamos numa altura em que já não se discute assuntos pontuais no Sporting. Nem tudo o que está acontecer é bom, mas também nem tudo é mau. O problema é que os que se afastaram, deixaram de querer ser conquistados, e os que apoiam não querem perceber essas razões. Porque dentro dessas razões há muitas criticas infundadas, critica-se sem se perceber do assunto (como o caso das contas do clube...nunca vi tanto pseudo-contabilista).

Os que criticam passaram a usar palavras como benelização, falencia, morrer, funerais antecipados, os que defendem acham o Sporting muito grande para acontecer tal coisa.

Concordo que no Sporting se fazem muitos maus negócios, muitas más escolhas, mas o nosso problema não passa só por aí, passa também por estarmos sempre a "olhar para namorada do outro e achar que é sempre melhor que a nossa, mesmo não a conhecendo bem".

E isto vai se resolver, quando nas próximas eleições aparecerem 10 canditatos, para os sócios terem mais opção de escolha. A escolha não se pode resumir apenas à "continuação" ou a "um tiro no escuro".

Abraço

SL

Virgílio disse...

Arre!

Ó José, escreve aí uma palavra (UMA) deste post que ofenda os 90%... Olha, deixa estar. Acho que nem vale a pena.


Hugo:

Como calculo que saibas, concordo com o teor deste post. Acrescentaria o seguinte: é flagrante a dualidade de critério e equidade na avaliação de JEB para outros sportinguistas que manifestem uma opinião diferente do 'todo-poderoso' (termo carregado de forte e completa ironia!). A um permite-se todas as bacoradas ditas e/ou feitas e até se defendem, a outros mal abrem o bico para dizer 'ui', a caiem-lhe logo tds em cima... com o peso dos 90%, claro.

A questão que coloco é: quais das situações prejudica mais o SCP. Uma bacorada feita por um dirigente do SCP ou uma boca, mesmo que foleira injusta e/ou desajustada, mandada por um 'opositor'? A qual deveremos dar mais importância? Qual é que nos merece maior critica?...


LEÃO PENSADOR:

Gde exemplo esse do Lula. Mt bom.


MM:

"Ainda existe muito Sporting dentro do Sporting.
Fora do seu futebol, mas bem dentro do Sporting. O que eu gostava de ver o Clube comandado por algumas das gentes que o servem fora da sua seccção de Futebol. Caso acontecesse tenho a impressão que o Clube levava uma volta de 180º, para melhor, para muito melhor..."

Sem dúvida! Até pq além do evidente sportinguismo já deram mostras de outra competência...

Logo à tarde no Entroncamento: FORÇA SPORTING!

Abraço a tds.

pedro disse...

Mto bom post! Concordo a 100%!


José,

Nem vale a pena ler os teus "pensamentos"..Já passo à frente!

Dezperado,

Já entrámos aqui em disputas acima do razoável mas tenho que concordar em parte com o que escreveu.
É verdade que há um extremar de posições mas parece-me sempre que quem critica tem, na maior parte das vezes, muito mais cuidado em fundamentar as opiniões. Na maior parte das vezes, repito.
Claro que por vezes, critica-se com o coração na boca e aí pode faltar algum descernimento. Contudo parece-me que as pessoas que assiduamente debatem e criticam os assuntos na blogosfera, tentam explicar os seus pontos de vista.
Mas depois vejo alguns intervenientes criticar os críticos usando, na maior parte das vezes, os argumentos que os tais críticos são menos sportinguistas, não vão a alvalade, não pagam cotas, etc.
Aqui está a falta de argumentação que o post fala. E eu concordo.
Mais uma coisa, o nosso presidente deu o mote da "namorada dos outros é melhor que a minha". Foi ele que disse que a gestão dos merdosos do porto era um modelo a seguir. Mas depois, quando os críticos apontam algum aspecto positivo das gestões dos outros clubes são imediatamente atacados.


MM,

Parabêns também pelo que escreveu! CONCORDO a 100%. Já uma vez escrevi aqui que, apesar de andarem a lapidar o clube no seu património, financeiro, imobiliário e principalmente humano, CONTINUAMOS a ser muito fortes porque não se consegue arrancar as raízes de 100 anos de história em meros 15 anos de incompetências. Já fomos ultrapassados, continuamos a andar para trás mas o SPORTING e os seus ADEPTOS continuam a ter uma força e um potencial único em Portugal e nos seus emigrantes.

Jose disse...

Mais um troféu para o museu e que para muitos dos criticos é apenas mais um tacinha sem valor ganho com sorte..E dizem eles que foi uma má época do Sporting..Só sabem dizer mal mas agora não custava nada valorizar mais esta vitória..mais este troféu..Se fosse o outro clube a ganhar era páginas e capas de jornais..Foi o nosso passa despercebido..

Ed disse...

Mais uma taça.

Excelente, esta semana do Sporting.

Leão de Stª Engrácia disse...

Granda Sporting. Sempre a arrecadar !!!

Atenção Barcelona, já vos estamos a morder os calcanhares ! :)

Foi pena o comportamento das claques. Vergonhoso mesmo.
Cresçam meninos, e sejam dignos e grandes à imagem do clube que apoiam.

SL

Leão de Alvalade disse...

Hugo:
Qualquer instituição que se feche à critica deixará de ser uma instituição vencedora. E a critica para ser válida tem que ser equilibrada e despojada de apreciações de ordem pessoal. Julgo que é isso que se tem, em regra, feito por aqui.

Temo contudo que grande parte dos posts não sejam sequer lidos na íntegra e muitos passem a comentar sem sequer discutir o que está em causa nas linhas escritas. Ainda ontem me surpreendi com o paralelismo feito com a situação do Barcelona e a nossa, tendo-me até abstido de aprofundar o assunto.

Vejo muita gente colocar em causa a legitimidade da critica, chegando à irracionalidade de lembrar os 90% - 10% das eleições. Como se 90% dos votos desse legitimidade para governar mal. O que me parece é que esta e qualquer direcção são mandatadas pelos sportinguistas não para fazerem o que lhes apetecer, antes sim para tomar boas decisões.

É dever de todos os Sportinguistas chamarem a atenção e darem conta das situações em que tal não acontece. E por muito que haja quem sempre encontre uma justificação para tudo há também quem não se conforme. Quem não souber viver com isso e respeitá-lo esquece princípios fundamentais para a a saúde de qualquer instituição.

Leão de Alvalade disse...

Ainda ontem me surpreendi com a reacção ao paralelismo feito com a situação do Barcelona e a nossa, tendo-me até abstido de aprofundar o assunto.

PLF disse...

Leão de Alvalade,

tiro-lhe o meu chapéu pela lucidez do seu comentário. Preparava-me para escrever algo sobre a natureza e a pureza dos sentimentos identitários e de como é mal empregue o tempo gasto a explicar que cada pessoa sente à sua maneira e como esses sentimentos não devem ser alimentados pela exclusão/oposição e derrogação, mas pela inclusão e pela diferença ou mesmo pelo acaso quando não possam encontrar outra explicação.

Tenho a sensação de que no Sporting há uma profunda perversão no discurso que, sem afectar o núcleo identitário dos sportinguistas (que continuam a ser do Sporting), afastam muitos da sua esfera gravitacional.

JEB "vendeu-nos" o fim do discurso do coitadinho e dos orçamentos pelo quanto isso tinha de divisivo e tinha imensa razão. E, pese embora os muitos erros desde a primeira hora, até acredito que a sua ideia fosse reconstituir pela positiva uma narrativa profundamente divisiva que está actualmente instalada no Sporting. Durou pouco. E se é indecoroso ver um presidente a maldizer sportinguistas, é obsceno ver sportinguistas verberar outros sportinguistas na hora das (poucas, significativas ou não) vitórias. O Sporting tornou-se um animal irracional.

Penso que a solução seria outra. Sempre fui da opinião que a transparência era o melhor afrodisíaco. E foi o que sugeri. O problema é que a transparência revela a substância, previsão e planeamento das acções e responsabiliza. E há quem não queira essa responsabilidade.

pedro disse...

Uma boa vitória no Futsal de uma equipa que espero que seja novamente campeã nacional! Para já mais um título para o Sporting!

Espero que o Cardinal recupere bem!

Miguel Brito Gonçalves disse...

Para começar era bom que blogs como este não sonegassem comentários a quem não concorda (lá está) com o que por aqui se diz. Se tanto apregoam a "licença para criticar", também deveriam saber ouvir.

Quanto a factos, basta consultar os arquivos e comparar os resultados desportivos, incluindo os do futebol, do antes e do após Roquette (vejam só como é que foram os últimos 20 anos antes da sua tomada de posse e comparem com os títulos conquistados depois). É um exercício simples.

Quanto ao candidato derrotado nas últimas eleições, seja lá ele sportinguista ou não, é uma figura pública e os comentários que fez são ofensivos para o nosso Sporting e para o seu Presidente, o qual ele prometeu apoiar, sem bem me lembro. A única coisa positiva que retiro das suas palavras é ter revelado (como se ainda houvessem dúvidas) toda a sua grande arrogância e prepotência.

Tal como prepotentes são todos aqueles que acusam a quem votou Bettencourt de ser cegos, méés méés, claps claps, palhaços e outros adjectivos do género. Com que direito? Isso é que é respeitar a opinião dos outros? Se querem respeito, comecem por respeitar quem tem opiniões diferentes.

Em todo o caso, o melhor era de facto concentrarem a vossa energia em apoiar as nossas equipas, porque os adversários, cujas direcções fartam-se de meter o pé na poça, não têm uma oposição que os corroe por dentro permanentemente. E como tal, são mais fortes.

Na esperança que desta vez, publiquem o meu comentário - Saudações de um companheiro Sportinguista

Mig

JuvenalCarvalho disse...

Um pouco à parte ao escrito no post, e depois de ter assistido ao vivo a mais uma conquista do nosso Clube no futsal, não posso deixar aqui em branco a atitude de João Benedito na forma como se junta aos adeptos nos festejos. UM LEÃO!!!

JuvenalCarvalho disse...

LDA,

Sei que os 90/10 continuam a ser tema de uma discussão completamente despropositada e que a nada leva.
Independentemente das críticas a JEB - muitas bem fundamentadas e justas - posso dizer que muitas foram as áreas em que se nota um evidente melhoria tal como o marketing, comunicação e a aposta deliberada no ecletismo, com apetrechamento das equipas de alta competição, para além do dossier pavilhão, uma outra área sensível em que deu e bem continuidade a um processo iniciado anteriormente.
Posso dizer que não votei em PPC e não o farei de novo caso ele surja como candidato, mas daqui a cerca de três anos o tema eleições e respectivas questões percentuais serão aí assim temas a abordar com maior fundamento.

Abraço

Leão de Alvalade disse...

Juvenal:

Talvez não tenha sido claro ao abordar a questão dos 90 /10. Por isso aqui vai:

Se atentarmos às declarações dos vencidos e do seu comportamento posterior após as eleições verificamos que deixou de haver posição constituída e todas as intervenções e manifestações contra ou a favor derivam de posições pessoais. São normalmente os que votaram a favor que lembram o resultado das eleições, daí o meu comentário:

"Vejo muita gente colocar em causa a legitimidade da critica, chegando à irracionalidade de lembrar os 90% - 10% das eleições. Como se 90% dos votos desse legitimidade para governar mal. O que me parece é que esta e qualquer direcção são mandatadas pelos sportinguistas não para fazerem o que lhes apetecer, antes sim para tomar boas decisões."

Naturalmente que é o futebol que concita a maioria das atenções dos Sportinguistas e os resultados, as exibições, as opções recentes e os inúmeros casos pouco claros que têm sucedido no último ano são os que mais mobilizam os comentários dos Sportinguistas.

Leão de Alvalade disse...

Miguel Brito Gonçalves:
Não sei no que baseou para fazer a acusação infundada de sonegação de comentários.

Posso estar errado mas parece-me que é a primeira vez que comenta aqui no blogue e talvez por isso não conheça o seu histórico.

Até hoje nenhum dos seus comentários foi eliminado porque nem sequer me lembro de o ter visto comentar aqui.

O "ANorte" sempre permitiu comentários livres aos seus leitores. A dada altura, porque a qualidade das intervenções decaiu de forma evidente, permitimos apenas o comentário a utilizadores registados, evitando assim os comentários anónimos, em geral de apenas uma linha e contendo insultos.

Não fazemos moderação de comentários à priori, mas não prescindimos do direito de eliminar os comentários inapropriados, embora só o façamos após reincidência.

Temos toda a vontade de debater com outros adeptos Sportinguistas embora não prescindamos de um direito que nos assiste que é de escolher com quem o queremos fazer. Desse lote estão obviamente excluídos os que não querem debater as ideias e os artigos que escrevemos mas apenas quem os escreve. Este blogue não dá lições a ninguém mas para receber reparos é bom que sejam fundamentados.

Se não quiséssemos saber a opinião dos Sportinguistas não abríamos o espaço dos comentários. Isso infelizmente há alguns que não o percebem.

Como pode ver o seu comentário não foi apagado, como não foram outros anteriores com os quais não me revejo.

Hugo Malcato disse...

Miguel Brito Gonçalves,

Antes de mais, obrigado pelo seu comentário mesmo que não reveja no mesmo, apesar de compreender - e estar habituado - a esse ponto de vista.

O exercício dos 20 anos de resultados desportivos pré-Roquette (1975-1995) - em termos de futebol - não revelaria números muito diferentes dos números de 15 anos pós-Roquette. Em termos de outras modalidades, as diferenças são significativas.

Nesse mesmo cenário, sugiro um outro exercício: A diferença de património do clube, as diferenças nos números e a diferença de influência no panorama desportivo nacional.

Penso que na generalidade, o seu comentário insere-se na perfeição no teor deste texto sendo que porventura o Miguel terá sido ainda mais incisivo no momento de apontar o dedo a uma só das partes quando na minha opinião a "culpa" estará em ambos os lados.

Miguel, permita-me discordar no seu apelo ao apoio e comparação com os adversários. Em primeiro lugar, com o mal dos outros posso eu muito bem. Por outro lado, o facto deles não terem uma "oposição" que corroe a instituição não implica o sucesso. O Sucesso é que permite o dissipar de posições mais clivadas.

Saudações Leoninas

JuvenalCarvalho disse...

LDA,

Obviamente que é do lado dos "vencedores" que mais se reclamam os tais 90/10.
No entanto, e ao contrário do teu caso que fundamentas muitas críticas a JEB nas quais me revejo em muito, vejo por aqui passar muita gente que "bate" indiscriminadamente porque sim, achando que do seu lado da barricada é que estavamos rampantes, com um Sporting demolidor.
Ninguém tem a sapiência toda. Por mim, aguardo o andar da carruagem para efectuar o julgamento final.

Miguel Brito Gonçalves disse...

Hugo,

É verdade temos ideias opostas, mas felizmente acho que as podemos discutir com inteligência.

Eu também posso bem com os males dos outros. Com "Robertos", "Meireles", "Moutinhos"(esteve em grande nos 10 minutos em que entrou no jogo da Selecção)... Eles é que enfiaram os barretes, problema deles. Mas a verdade é que o mal de uns, em competição, é sempre em benefício dos outros. E há alguma dúvida que o nosso maior mal é este combate interno permanente (que os nossos adversários já aprenderam a explorar - e bem, aliás)?

Claro que o sucesso permite o dissipar de posições mais clivadas - ou, num português mais popular, faz com que os abutres lá tenham de esperar por outra oportunidade para enfiarem o bico.

A diferença entre nós, é que eu acho necessário dar margem de manobra para se poder gerir. Para se inovar, para se implementarem ideias novas, para se arriscar - é preciso saber delegar, sobretudo a quem ganhou umas eleições livres. Às vezes aquelas decisões que à partida parecem estranhas ou não se compreendem, são mesmo as melhores. Quem lá está tem a obrigação e a informação para as tomar. No fim do mandato vêem-se os resultados julga-se. E se até for o caso, recorre-se à Justiça.

Aliás, falou nos números, aproveito para lhe dar a minha opinião: vivemos num país democrático e se em algum momento se provar que houve roubo ou má gestão, prisão com ele, JÁ - seja lá ele ou eles quem forem (o Vale e Azevedo também achava que podia tudo e olha... o Pintinho é só sair do Fê Quê Pê e vai pelo mesmo caminho).

Quanto aos resultados desportivos, honestamente, as diferenças não são significativas? Então?... Tivemos mais títulos, fomos vice-campeões mais vezes, chegámos a uma final duma competição europeia (só para referir o futebol). A malta é que não tem memória ou não sabe a história. Se eu queria que os resultados fossem melhores, que tivéssemos sido Campeões Europeus? Obviamente que sim!
Já agora, lembra-se quando o Luis Duque quis ir buscar o Mourinho ao benfas, o que é que dizia a tal "saudável" oposição interna do Sporting? Fez tanto barulho que o Duque lá acabou por meter o rabo entre as pernas, rasgou o contrato e o outro foi parar ao Leiria - acabando depois no porto com os resultados que se conhecem. Que na altura ninguém compreendeu porque raio é que o Duque queria ir buscar um tradutor para treinar o nosso Sporting, ninguém compreendeu. E hoje?

É por estas que eu acho que a haver julgamento é no fim dos mandatos. Quem se diz sportinguista, tem é de apoiar as nossas equipas a 300%. Tem de ir aos jogos e ajudar a criar uma onda imparável - em vez de entrar na onda do bota-abaixo.

A questão aqui é que anda para aí muita gente mais interessada noutras coisas. E a "malta" vai atrás da conversa fácil (os verdadeiros méés méés).

SL,
Mig

MM disse...

Mig,

Que margem de manobra é essa que é preciso dar mais? A margem vai já em quase 10 anos para o Bettencourt e 4 faltam para que cheguem aos 20 os do "Projecto". Se o ano e meio desta presidência nos ensinou algo é que se ter um Vice incompetente é mau, ter-se o mesmo Vice na cadeira de presidente é bastante pior. "Inovar, implementar, arriscar", inovámos tanto que chegámos ao ponto em que estamos hoje: sem património, completamente endividados e reféns de um departamento de futebol cujos principais rostos são:
- Um tipo - Costinha - que apesar de todo o propalado sportinguismo não tem nenhuma ligação efectiva ao Sporting que se conheça.
- Um treinador - Paulo Sérgio - que apesar de contar com o meu apoio chega ao Sporting vindo de Paços e Guimarães.
- E um presidente que nos envergonhou tanto em tão pouco tempo que 10 ou 15 meras palavras normalmente alinhavadas são o suficiente para ser gabado, tais as (nulas) expectativas que hoje há sobre ele.

O mero exercício de responsabilização devia obrigar-nos a agir. E na impossibilidade de agir, censurar e recriminar. Mesmo que não se queira censurar a política e o desgoverno: censuremos os seus resultados. O Sporting conseguiu a pior classificação de sempre, conseguiu ser goleado 2 vezes pelos 2 maiores rivais na mesma semana, conseguiu arrastar-se por 3 directores desportivos ao longo da época, por 2 treinadores francamente medianos - no perfil técnico ou no perfil em sentido largo, só, porque para o Sporting uma tem que andar sempre ligada com a outra - e ainda conseguiu no fim disto tudo ficar desportivamente mais pobre com a saída forçada dos poucos activos realmente valiosos que possuía na sua equipa de futebol - gostássemos deles ou não - e arrancar para uma nova época com 25 milhões de euros queimados em merda: o Pongolle é só 1, de outros, não é o único.

Mais, comparar os resultados desportivos do Sporting conseguidos entre 1975 e 1995 com os obtidos entre 1995 e 2015 é comparar o céu com a terra. Nos 20 anos pré-Roquette o Sporting não vence apenas mais títulos de futebol - a única coisa que tem mesmo a menos são Supertaças, porque de resto tem tudo a mais - mas mesmo que tivesse 0 títulos de futebol o Clube nesses 20 anos (75-95) consegue entre outras coisas atingir a singela marca de 15 Taças dos Clubes Campeões Europeus somadas, 5 competições europeias de Hóquei em Patins e um sem-número de títulos europeus, mundiais e olímpicos ganhos pelos seus atletas para si próprios e para o Sporting. É que não têm sequer comparação possível os 2 períodos. Tínhamos um Estádio mais pobre e não tínhamos Academia mais tínhamos mais praticantes, melhores praticantes, mais atletas, equipas, modalidades, adeptos, património, tudo, havia mais de tudo, tudo este que se vai perdendo aos poucos e poucos até não haver nada mais que possa ser perdido.

MM disse...

Temos hoje: um espólio que não tem igual em Portugal, a massa adepta (ainda) e muitas muitas memórias, porque de resto não temos mais nada, e o que vamos tendo vai sendo conquistado por uma série de gente que não tem nada a ver com o Bettencourt e que serve o Clube no universo "Modalidades".
A situação é tão mazinha e pobrezinha que chego a ler elogios à governação do Sporting baseados em melhor "marketing" ou num site mais bonito, como se isso tivesse alguma coisa que ver com o Bettencourt ou com os inúteis que o servem directamente.

O Sporting antes de precisar de ondas imparáveis precisa de uma outra coisa bem mais confiável e palpável Mig: equipas decentes, feitas com pés e cabeça, qualidade, competência. E a competência destes está mais do que vista: 25 milhões de euros que darão para nos levar da Cruz Quebrada até ao Dafundo, e quer saber o que é o mais giro de tudo? Não tenho dúvidas que se acabarmos a época em 3º lugar ou em 2º a 9 pontos do 1º não faltará quem cante vitória, ignorando que para se atingir esse lugar gastou-se o que se gastou em reforços e vai-se pagar o que vamos pagar de salários durante 2 ou 3 anos a esses mesmos reforços, sem qualquer retorno desportivo ou seja lá de que espécie for.

Quando as expectativas são muito baixas e a falta de capacidade para exigir mais e melhor são tão evidentes o resultado só pode ser essa triste deprimência: esquizofrenia parola, de quem não sabe o que quer e de quem aplaude não sabe muito bem o quê, como se o Sporting de entre tanta gente tivesse de estar refém de um inútil qualquer que nem pedir a merda de um adiantamento de um jogo sabe fazer, tão preocupado que anda com o Sporting ou com aquilo que devia estar a fazer ... e não faz.

Leão de Alvalade disse...

Miguel Brito Gonçalves:

O meu caro fez aqui uma acusação sem qualquer fundamento que provavelmente deve ter resultado de algum mal-entendido. E apesar de lhe ter respondido aqui e lhe ter enviado um e-mail optou por ignorar ambos, o que não me parece nada correcto face à acusação que proferiu. Isto é, de forma muito ligeira e sem fundamento fez aqui a acusação de que impedíamos que não concorda connosco de se manifestar, o que é mentira, como o prova a caixa de comentários em todos os posts.

Acresce que o meu caro por certo desconhece que este blogue tem 8 editores, cada um tem a sua opinião e não existe uma "posição oficial" relativamente a nenhum assunto em particular. Se fosse assíduo leitor já teria percebido isso lendo a caixa de comentários ou lendo os nossos posts conjuntos, onde cada um expressa a sua opinião.

Esta é uma questão de honra para mim porque efectivamente nenhum dos seus comentários foi "sonegado", contrariamente ao que afirmou. E, apesar de não concordar com as suas opiniões (até porque as acho redutoras do papel que julga estar reservado para os adeptos, reduzindo-os a meras majorettes acríticas) elas nunca serão eliminadas, desde que feitas nos moldes correctos em que as faz.

Miguel Brito Gonçalves disse...

LdA,

até é possível que tenha havido um engano, mas o que é certo é que o meu comentário não entrou apesar das minhas tentativas. Seja como for, obrigado pelos seus emails e comentários. Foi muito gentil.


MM, que mundo mais depressivo esse em que tu vives...

SL

Hugo Malcato disse...

MIG,

Obviamente que podemos "discutir" as nossas ideias. É isso que traz saúde às opiniões e permite cada um poder consolidar as suas posições e eventualmente rectificar alguns comportamentos.

"A diferença entre nós, é que eu acho necessário dar margem de manobra para se poder gerir."

Não digo que não. Obviamente que não podemos esperar que todas as decisões passem pelo aval dos sócios - embora alguns para isso queiram aplicar uma Assembleia-Delegada que permita que ALGUNS participem nas decisões. No entanto, se existem determinadas demonstrações de incompetência, não concordo que se aceite impávido e sereno, aguardando pelo final dos quatro anos de um mandato. Certamente é a opção de cada um e sem querer chamar quem quer que seja de "carneiro" ou "cegueta", continuo a defender que em todo o caso devemos ser sempre vigilantes. A partir daí, a forma como exprimimos as nossas posições é que deverá variar e neste campo, pode ter a certeza que faço "barulho" por muitos outros canais.

Disse-o na altura das eleições e comuniquei-o ao presidente: Não confio na equipa de trabalho, mas isso não quer dizer que não dê a "margem de manobra". Da mesma forma que gostaria de ver que algumas das soluções que são propostas em diversos canais não são "críticas" ou "atestados de incompetência" mas sim propostas e sugestões.

"Aliás, falou nos números, aproveito para lhe dar a minha opinião: vivemos num país democrático e se em algum momento se provar que houve roubo ou má gestão, prisão com ele"

Certamente já viu as inúmeras reacções cada vez que se fala numa auditoria. Neste momento, não tenho dúvidas que há pessoas com medo que se encontrem "esqueletos".

E para que fique claro: Esta Direcção "herdou" um fardo pesado e tem dado o "peito às balas" por erros de outras pessoas. A margem de manobra é mais reduzida por isso e talvez por isso haja menor tolerância. Mas a decisão de avançar foi sua...

Uma vez mais, agradeço a elevação da sua participação.

SL

Miguel Brito Gonçalves disse...

Hugo e Leão de Alvalade,

lamento se me excedi no tom em algum comentário, mas para mim é inaceitável esta corrosão permanente dentro do Clube. Há de facto posições muito extremadas e que nunca (mesmo que as vitórias no futebol comecem a surgir de forma mais continuada - a verdade é a que as outras modalidades pouco importam para a grande maioria dos adeptos), serão conciliáveis.

Enquanto uns acham que esta direcção tem legitimidade para gerir o Sporting (porque ganhou eleições há um ano - e nem importa porque diferença), os outros acham que tem mais é que se demitir já (uma atitude que eu apenas compreendo como exclusivamente emocional, ou alicerçada em outros interesses que não o Sporting).

Enquanto uns acham que unidos somos mais fortes, outros acham que só através do confronto permanente é que se cria uma cultura vencedora.

Enquanto uns acham que devíamos era focar a nossa energia a apoiar as nossas equipas, a ajudar a angariar mais sócios para o Clube e ir ao nosso grande Estádio sempre que há jogos, outros acham que isso é ser seguidista (ou cegueta, ou méés méés e sei lá que mais adjectivos somos obrigados a ler).

A meu ver esta discussão torna-se portanto absurda e como tal não vou alimentá-la mais. Mais a mais, porque apecete-me ganhar é aos benfiquistas e aos portistas, não aos Sportinguistas.

Abraço
Mig

Enviar um comentário

Reservado o direito de admissão.(links também)
Comentários com insultos entre comentadores não serão tolerados

Comentários Recentes